Meia volta, volver!

O momento em que prolongavas a continência para que eu não pudesse desfazer a minha e ficavamos ali, a conter o riso e a olhar um para o outro como se soubessemos que ia haver sempre amanhã.

Sem comentários:

Enviar um comentário