As desculpas pedem-se sempre e evitam-se quando se podem:

Desculpa-me ser assim de racional.
Desculpa-me ser assim de fugaz.
Desculpa-me ser assim tão atroz
Desculpa-me ser assim tão perdedora
Desculpa-me ser assim tão ditadora
Desculpa-me ser assim tão imprevisível
Desculpa-me ser assim tão frustada.
Desculpa-me ser assim tão complexa.
Desculpa-me ser assim tão simples.
Desculpa-me ser assim tão inconclusiva.
Desculpem-me ser assim tão deprimente.
Desculpem-me ser assim tão explosiva
Desculpem-me não cumprir com nada do que sonho.
Desculpem-me ainda acreditar que no fim posso sorrir.

Desculpo-me porque, na verdade, não tenho nada a ganhar.

Sem comentários:

Enviar um comentário