O silêncio foi a coisa mais importante que aprendi:

Diz-me que o silêncio não muda nada. Não vale a pena pronunciarmo-nos em palavras. Dizias que os momentos mais importantes da vida aconteciam em silêncio. Aprendi a falar com dois anos e, a partir daí, aprendi o silêncio. Tudo o que aconteceu depois daquela idade foi uma renuncia a tudo o que me ensinaram até ali. Naquele dia também não foram precisas palavras. Os inícios e os fins dispensam-nas, é sempre assim. Não é preciso falar para dizer tudo. Temos as entrelinhas, os gestos e depois... os silêncios. Diz-me, outra vez, que o silêncio não muda nada. Novamente, até que o coração aguente. 

Sem comentários:

Enviar um comentário