Idolos e companhia:

Até hoje só conheci um programa do género onde tenha saído um justo vencedor e nem foi em portugal.

2 comentários:

  1. Nao? entao diz-me la os nomes dos injustiçados... agora sabes mais que o juri e os portugueses!

    ResponderEliminar
  2. Portugal está cheio de exemplos e é fácil provar isso porque regra geral nem é o primeiro classificado que depois do programa acabar melhor vinga na música.
    A Luísa Sobral ficou em 3º nos Idolos e está bem melhor que o Nuno Norte.
    A Luciana Abreu também não ganhou e é bem capaz de ser das melhores vozes femininas portugueses embora o vencedor até não seja assim tão mau.
    O Filipe Pinto teve a sorte de ter cara de coitadinho e olhos azuis. Qualquer um reparava que a Diana Piedade conseguia ser muito mais versátil a todos os níveis. E, em termos de talento, até um Carlos Costa lhe ganha, digam o que disseram da aparência dele.
    Depois, temos a Carolina Deslandes, que ficou em terceiro e merecia o primeiro. O único lugar justo nessa edição foi o do Martim. Não é por acaso que nunca mais se ouviu falar na vencedora e que a Carolina já editou um cd.
    Se quiseres falar sobre a Operação Triunfo, tens na primeira e segunda edições vencedores que nunca mais se ouviram falar e por outro lado, concorrentes como o Edmundo e o Paulo Vintém que fizeram parte de um dos maiores sucessos nacionais. Se argumentares a dizer que os D'zrt era uma merda, então podemos falar no caso do Rui Drummond e do Francisco Rebelo de Andrade que já deram mais à música do que as vencedoras. E depois, no mesmo programa, surgiu uma Aline Bernardo, que participou na Voz de Portugal e nunca conseguiu ganhar e tem um timbre que não se encontra em qualquer pessoa.
    Ainda em relação à Voz de Portugal, prova mais o Ricardo Oliveira numa música do que o vencedor nas galas todas. Mas percebo, não é bonito e isso não vende.

    Ainda queres falar sobre isto?


    ResponderEliminar