Tu quédate:

Evito-te mais do que uma criança evita a cama na hora de adormecer. Fazes o meu telemóvel tocar e, nesse preciso instante, começa a doer-me a barriga, tenho vontade de ir à casa de banho, só mais uma vez. Peço para contarem-me uma história e quando terminam, já não tenho dores na barriga mas fome. Nunca somos tão bons como parecemos nem tão maus quanto pensam. Na incapacidade de conseguir-te falar, escrevo-te para ficares.

Sem comentários:

Enviar um comentário