Amor com amor se paga:

Perdi a conta à quantidade de vezes que o disse. Deixei de contar porque a verdade não tem número, é um infinito sereno que me cabe no peito na hora de adormecer.
Insisto nesta certeza que tu me dás à espera da condicionalidade toda que daí advém. Tu sabes muito mais que eu. Soubeste-o muito antes de mim. Os cheiros ficaram na memória e agora é só o amor que nos segura. Tu sabes muito mais que eu. Soubeste-o muito antes de mim mas eu continuo a perder a conta à quantidade de vezes que o disse. 

The mother of my mother was my mother too:

Your crazy son, the stylish one 
The pretty woman, she's my mum 
And now the news, don't feel shame
My dear daughter has your name

That god damn bitch of life she made me cry:

Contar até três não chega. Fecho os olhos e volto a abrir. Estamos a pensar no mesmo, é maior que nós porque programaram-nos para ter outro destino qualquer. Não percebemos de finais felizes e o amor tropeça-nos por isso, fechamos os olhos, contamos até três e pedimos mais. Tantas vezes quantas as razões que nos faltam. Perdemo-nos no caminho e deixamos para trás tudo o que não foi repensado. Conto até três, penso duas vezes. Outra vez. Tantas vezes quantas as razões que tenho. Tantas quantas as coisas que não posso escolher. E no fim, deixamo-nos ir porque um dia soubemos tomar conta de nós. Deixamo-nos ir porque o verbo consente tudo. Deixa-me ir porque os vícios desprendem-se do corpo.

Recados perdidos:

Ver-te foi saber que uma partida não foi suficiente e que um regresso não chega.

Let's grow old together & die at the same time:

Não somos tão bons quanto parecemos nem tão maus quanto pensam. Nunca havemos de ser o que os outros decidirem, nem tão pouco o que queremos ser. 

Primos:

Acabaste por ser um resto daquilo que ficou. Uma sobra boa de uma opção da minha vida. Somos os gestos que ficam por fazer e as palavras todas que falamos nas entrelinhas. És quem eu mais quero manter perto porque é agora que a vida começa. Estou aqui.

Beijos, pessoas especiais:

Julgar as atitudes à luz do que sabemos hoje é injusto. Ninguém saiu a ganhar: Eu desisti de mim e vocês desistiram de nós. Acobardámo-nos das nossas decisões porque tínhamos muito a perder e um orgulho difícil de engolir. Fomos o resultado de todas as nossas falhas, a soma dos abraços todos que acabaram por desvanecer-se no tempo. Uma conta difícil para quem deixou de contar os anos que foi feliz. Subtraímos tudo e vemos uma multiplicação de momentos que nos dão a certeza que injusto é julgarmos as nossas atitudes à luz do que sabemos hoje.

Há sempre um lado bom:

Os mimados têm noção de que sozinhos não vão a lado nenhum.

Não faço o bem que quero, mas pratico o mal que não quero.

Por alguma razão, que eu desconheço, o mal terá sempre mais peso que o bem.