Quanto tempo se demora a aprender a liberdade?

Vivemos há quarenta anos em democracia. Historicamente, somos uns adolescentes com a rebeldia toda na venta e umas hormonas aos saltos e, ainda assim, quarenta anos parecem já tanto tempo.
Dizer que já não estamos numa ditadura é uma falácia fácil e estranhamente assustadora. Estou a duas gerações da revolução e, ao mesmo tempo, a ser educada por elas. Pertenço à primeira geração que nasceu já em liberdade mas desta premissa decorre o silogismo de que a partir daqui nascerão os verdadeiros filhos da revolução, com a prerrogativa natural e, ao mesmo tempo, com o desígnio todo da nossa herança cultural.

A infância fez-se mulher e a vida virou recordação:

Tu eras o ideal mais próximo que tinha daquilo que eu gostaria de ser noutra vida. O exemplo vivo de que o destino acaba por levar a cada um aquilo que é seu. Eu olhava-te do alto do meu metro e cinquenta e sabia que a vida, para ti, tinha outro encanto. Tu eras os sonhos todos, as missões impossíveis e os fragmentos de coragem que se juntavam das cinzas. Eu olhava para ti e pensava que talvez um dia, mais ou menos longínquo, pudesse ser como tu. Simples, como a vida. Simples, como se querem todas as coisas. Depois a vida aconteceu como a naturalidade de qualquer fim. Eu cresci e dizem-me que somos iguais.

Um dia havemos de falar sobre isto:

Há sentimentos que nascem para serem amarrados e depois, com o tempo, serem desembrulhados, em doses pequenas. Aqui e ali, cozinhar a lume brando e apagar assim que ferver. É um ditador a tempo inteiro dentro de nós, uma vontade recalcada ou uma cidade a viver sempre em lusco fusco.
Prendo-o mas não o digo. Não digo porque o prendo mas só o prendo porque não o digo. Um ciclo vicioso, a nódoa que não sai daquela camisola mas que teimamos vestir.


Once you're grown up, you can't come back:

O maior medo será crescer, como se o mundo atrasasse toda a infância e a angustia fosse mais forte que o tempo. Ser pequeno para sempre e afirma-lo com a ingenuidade de uma criança e com a consciência verosímil que qualquer adulto pode ter - o paradoxo de um corpo que não caberá na idade que tem.

You had a vision they couldn't see:

E, indubitavelmente, caminhou até ao precipício porque sabia que era ali que a vida começara. A linha ampla e frágil que seguia todo o horizonte que não vira desde então. A presunção do momento, um passo ao lado e tudo a acontecer no limbo porque a vida só fizera sentido assim.

Talvez o amor esteja em todas as coisas:

Ninguém repara mas o Factor X é um programa muito mais de amor do que de música.