Bez kontrolya:

Quando me perguntaram porque é que ia, não soube responder. Sabia apenas que tinha de ir e, só depois, quando cheguei a casa, é que me apercebi que a amizade é, acima de tudo, isto: Ir porque sim. Ir porque temos de ir. 
Não podemos não gostar de quem gosta de nós. Eu não podia faltar, tinha de ir. Apareci pelo convite mas fiquei pela amizade. A mesma que me tirou o pijama num domingo à noite. Fiquei porque também dependo da felicidade das pessoas que gostam de mim. 
Partilhei contigo a maior parte dos dias do ano durante tanto tempo mas só ontem descobri que o hábito de conviver contigo, tornou-se numa amizade. Depois, tudo ficou claro porque entendi que a frontalidade que às vezes me faz revirar os olhos é a mesma que me surpreende nos desabafos. Entendi que a teimosia que persiste em cada discussão é igual à teimosia de quem leva um objectivo até ao fim. Entendi que a forma mistura-se com o conteúdo mas, o que conta mesmo, é a força de quem acredita em si. 
Tu sopraste as velas e tudo ficou claro: Era domingo, eu tirei o pijama e estava ali, para ficar. 

Sem comentários:

Enviar um comentário