Depois do dia da mulher, hoje voltou a ser o dia das pessoas:

O que mais gosto são as especificidades. São as diferenças que me levam a gostar tanto de homens e mulheres, é a essência do que é cada um. Muitas vezes, por trás de uma igualdade aclamada por uma mulher está uma condescendia escondida e é por isso que o dia das mulheres me assusta. Parecemos ávidas pelo poder e esta ambição (que pode ser tão traiçoeira) de chegarmos ao poder dos homens, em vez de criarmos um poder fundamentado em nós, pode acabar numa emboscada pela ânsia da igualdade. O caminho que o feminismo quer fazer é o o extremo oposto do machismo e isso tem tanto de incoerente como atemorizador. A luta é feita por pessoas que querem olhar de cima quando a verdadeira igualdade é hierarquicamente nivelada, com todas as desigualdades que a biologia determinou. Eu não quero uma igualdade que faça de mim um homem no lugar de um homem, tenho um trono só para mim.

2 comentários:

  1. Nao sei se percebi o que querias dizer mas acho que nestes assuntos devias falar de forma mais popular. Se conseguisses, acho que era melhor para toda a gente

    Ana Catarina

    ResponderEliminar
  2. B...

    "Cada um no seu quadrado".

    Obrigada.

    Dica teológica: Lê o Corão e compara-o com a Bíblia. Chegarás a conclusões interessantes.

    ResponderEliminar