Tu nunca foste de voltar atrás:

A vida é feita de contratempos. O teu regresso foi simultâneo com o meu mas eu aterrei noutro lugar. Um desencontro mais ou menos feliz. Uma felicidade mais ou menos honesta. Tu sabes o que te reservo e eu conheço o que tens para mim. A tua mão já foi lida e o mapa astral está traçado. As estrelas dizem que te quero sempre bem porque não me desfaço dos momentos. Lembro os bons, guardo os maus mas nunca me esqueço de quem me fez feliz. Porventura, estratégia do destino, fazer do teu regresso a nossa distancia, logo agora que tu vinhas para ficar. A ironia é cúmplice do tempo, os dois acusam-nos de usurpação e profanação da vida mas eu, que gosto de reger-me pela presunção da inocência, recuso a sentar-me no banco dos réus. Confesso, transgredimos a felicidade mas foi um crime que prescreveu. Uma honestidade completamente absolvida.

Sem comentários:

Enviar um comentário