Se tropeçar, é nos teus braços que quero cair:

O mundo dá voltas enquanto dormimos. Quando abrimos os olhos, o céu já mudou de cor e o chão já não é o mesmo. A guerra planeia-se durante a noite e a paz está sempre no dia que acorda a seguir. O mundo dá muitas voltas, as pessoas mudam e amam-se sempre que aprendem a olhar as estrelas porque os sonhos vivem dentro da nossa cabeça. É o amor que revoluciona o mundo e ele dá tantas voltas. 

A vida não é para todos:

A vida não é para todos. Há quem não esteja disposto aceitar a alegria de viver nem as curvas durante o caminho. Há quem não tenha aprendido a andar em ponta dos pés e se queixe das dores e mazelas de um dia de trabalho. A vida não é para todos. Não é para os conformistas nem revolucionários porque nos extremos, o entusiasmo dos detalhes, desvanece. A vida é para os que aceitam a felicidade com as duas mãos, sem desconfiar do que aí vem. Sem olhar por cima do ombro, sem pensar que a esmola está a ser muita. Há quem viva com o fuso horário de outro mundo, em desencontro com as circunstancias do tempo. Todos nascem para a vida mas a vida não é para todos. Insisto nesta ideia fascista todos os dias, talvez porque, mesmo estando mal disposta, continuo a achar que isto de viver é bonito para caraças. Há quem não esteja disposto a ver isso e por isso não mereça a vida que tem.