E se a vida parasse de importar?

Tenho anos de histórias para contar ao teu lado. Guardo as boas, as más e as melhores. Sempre tive dificuldade para controlar os pensamentos, vêm uns atrás dos outros, em catadupa, uma espécie de corrida, para ver qual chega primeiro. Nunca os tentei parar, deve ser isso que os filósofos chamam de honestidade intelectual. Sempre tive receio das pessoas que nāo pensam porque a verdadeira liberdade vem do confronto com aquilo que de mais íntimo temos, vem das entranhas. É contra mim e a meu favor que jogo, o momento em que o silêncio não me incomoda. Eu vivo com os fantasmas que criei dentro de mim, com todas as assombrações do passado mas é do futuro que a vida é feita. Eu tenho anos de historias, anos de medos, anos de reconciliações e felicidades. Guardo as boas, as más e as melhores e continuo porque nunca tive medo do silencio. 

Sem comentários:

Enviar um comentário